segunda-feira, 2 de abril de 2012

"And may the odds be ever in your favor"

Entre um trabalho e outro ainda dá para a gente sempre fazer uma reflexão e ler bastante, disto não abro mão, apesar de estar atolada de coisas para fazer sempre (ainda bem porque eu detesto rotina), há muito tempo não encontrava uma crítica aos programas de reality shows e principalmente a toda esta grade televisiva que temos há mais de 15 anos. Hunger Games cai como uma luva e dá um tapa na cara pra todo mundo que adora ver este tipo de coisa e o pior paga para assistir reality shows, inconcebível na minha mente e para meus neurônios. Não sei se já comentei que desde os anos 90 não vejo mais programação nacional e sou um total alien quando folheio revistas nacionais exibindo  notícias tão fúteis que fazem meu cérebro procurar algo mais instrutivo. Permiti a mim mesma isto e cresci enquanto muita gente ficou com a mente pra trás, e o pior, muitas mesmo. Este é o recado que dou: permita-se crescer e desligue o raio da televisão, pelo menos para acompanhar novelas e reality shows. Já é um bom começo. Se você gosta prometo continuar sendo amiga, mas por favor, comigo este assunto não funciona!
A grande verdade é uma só: "se ninguém assistissem aos jogos eles não existiriam".